Notícias e Comentários

02/02/2018 RAMALHO LEITE ESCREVE:UMA VISÃO DO PASSADO

Assinando apenas como Joaquim Ignácio, um jornalista potiguar incursionou pela Parahyba no ano de 1924 e transformou em livro a notícia do que ele viu nas cidades por onde passou. Primeiro fui em busca do turista escrevinhador. Só podia ser uma figura importante do vizinho estado, uma vez que transcreve conversas com José Américo, a quem

  • Lei mais>>

10/11/2017 RUA DO SILO, BORBOREMA,PB

IGREJAQ MATRIZ DE BORBOREMA

Quando eu era uma criança pequena lá em Borborema, subi algumas vezes pela escada de ferro que dava acesso ao teto, em forma de cone, de um silo existente no final da rua que tinha início na margem da linha do trem, antes chamada de Avenida Amazonas e hoje, Barôncio de Lucena. A partir dali, se iniciava a Rua do Silo. Um pequeno caminho, ligava o terreiro do silo ao horto dos eucaliptos que oferecia encanto e perfume aos arredores da igreja de Nossa Senhora do Carmo. Nunca procurei saber a orige

  • Lei mais>>

15/09/2017 RAMALHO LEITE ESCREVE: O QUE NÃO CONSTA NO RELÓGIO DE ALUIZIO

ALUIZIO CAMPOS

Ainda estudante de direito, Aluízio Afonso Campos pretendia ingressar na política no vizinho estado do sul. A reação familiar e campinense, tornou-o candidato à Assembleia Constituinte Estadual de 1934, abraçando o Partido Progressista da Paraíba, onde José Américo de Almeida pretendia acolher perrepistas e liberais interessados em pacificar o Estado após a revolução de 30. Foi sua primeira investida na política partidária e durou até o Estado Novo dissolver o Poder Legislativo. Em 1950, candida

  • Lei mais>>

24/08/2017 RAMALHO LEITE ESCREVE: TERRA À VISTA

Quando Cabral aportou nas costas da Bahia e, das naus de sua esquadra avistou-se um monte alto a que se denominou Monte Pascoal, começou a nascer um país que, quinhentos anos depois, ainda refletiria a semente plantada naquela terça-feira, 21 de abril. Não me acanho de repetir o lugar comum de que, a qualidade da gente trazida para ficar e se misturar com os índios não germinaria bons frutos. Pero Vaz de Caminha mandaria dizer a dom Manuel, o Venturoso, que o Capitão “mandou com eles (os índios)

  • Lei mais>>